„Iwwerscheen“ – Grupo de Tholey (Alemanha) visita a cidade geminada no Brasil

Desde o ano passado, o município alemão de Tholey e o município do Sul do Brasil, Alto Feliz, são cidades geminadas. Cerca de 80 % das pessoas em Alto Feliz têm ancestrais alemães, a maioria deles da “Schaumberger Land”. Cerca de 150 anos atrás, muitas pessoas emigraram da Alemanha para o Brasil, principalmente por razões econômicas. Os contatos familiares foram mantidos até hoje. A pedido do arcebispo de Pelotas, Jacinto Bergmann, cujo bisavô nasceu em Theley, decidiu estabelecer uma parceria oficial. Em junho passado, o prefeito de Alto Feliz e cerca de 30 outros brasileiros foram à Tholey para assinar o termo de parceria. Em fevereiro, um grupo de 29 membros de Tholey, liderado pelo prefeito Hermann Josef Schmidt, viajou ao Brasil para sua primeira visita oficial.

A primeira parada da jornada foi depois de mais de doze horas de vôo em São Paulo. Lá, o arcebispo de São Paulo, Odilo Cardeal Scherer, não hesitou em cumprimentar o grupo na metrópole brasileira pouco antes de sua partida para Beirute. O pai do Cardeal Scherer provem de Alto Feliz, seu avô é um nativo de Theley. Após o encontro com Cardeal Scherer, o grupo de Tholey visitou os pontos turísticos da cidade, especialmente a catedral neogótica. Do Edifício do Banespa, um dos mais famosos e altos arranha-céus de São Paulo, o grupo tinha uma impressionante vista panorâmica dos inúmeros arranha-céus da cidade, que é a maior cidade do hemisfério sul com quase 13 milhões de habitantes.


Acima à esquerda: Recepção do grupo de Tholey pelo Cardeal Scherer. Acima à direita: O grupo de Tholey em frente à Catedral de São Paulo. Abaixo: Vista sobre São Paulo do Edifício do Banespa.


Então o grupo voou para Porto Alegre. Na capital do estado federal do Rio Grande do Sul, o grupo de Tholey foi recebido no aeroporto por Jacinto Bergmann e os cidadãos de Alto Feliz. Após cerca de uma hora e meia de ônibus, o grupo chegou à noite em Alto Feliz. Aqui foi preparado uma grande e calorosa recepção para os convidados alemães em frente à prefeitura. Após o canto dos hinos nacionais brasileiros e alemães o prefeito de Tholey Hermann Josef Schmidt agradeceu o prefeito de Alto Feliz, Paulo Mertins, pela impressionante e solene recepção, transmitiu os cumprimentos do Cardeal Scherer de São Paulo e afirmou: „Hier is es viel scheener!“ (Aqui é muito melhor). Ele também disse que a visita era uma grande reunião de família: „Celebramos a amizade, celebramos o parentesco, celebramos belos encontros para nos conhecermos. Somos todos um!“. Arcebispo Bergmann afirmou em breve discurso dele, a reunião não era evidente: „Isso é iwwerscheen!“. Posteriormente, os alemães foram distribuídos para as famílias anfitriãs.


Acima: Recepção em frente à prefeitura em Alto Feliz. Abaixo à esquerda: o prefeito de Tholey Hermann Josef Schmidt em discurso. Abaixo à direita: Paulo Mertins, prefeito de Alto Feliz, entrega a Hermann Josef Schmidt um galhardete com a bandeira de Alto Feliz.


As barreiras linguísticas não precisavam ser superadas ali: cerca de 80 % das pessoas em Alto Feliz ainda falam alemão (além da língua nativa deles, o português) ou melhor, o baixo-alemão. Esse dialeto é muito parecido com o que se fala hoje na região de Tholey. Por coisas que não existiam na época da emigração há 150 anos, os germano-brasileiros, no entanto, usavam palavras do português ou faziam suas próprias palavras. Assim as pessoas em Alto Feliz dizem “Celular” ao invés de “Handy”, „ligiere“ ao invés de “telefonieren”, “Karre” ao invés de “Auto” e “Luftschiff” ao invés de “Flugzeug”. E eles dizem “Programmation” ao invés de “Programm”.

E para os convidados do Schaumberg, os brasileiros prepararam uma interessante e extensa “Programmation“.

No primeiro dia, uma visita a Nova Petrópolis estava programado. Lá, o grupo de Tholey foi recebido na praça em frente à prefeitura, com “Blasmusik”. Flores, palmeiras e casas em enxaimel se alinham na rua principal. Em frente à prefeitura está um mastro listrado azul e branco (“Maibaum”) e até anões de jardim (“Gartenzwerge”) podem ser comprados aqui. No meio do Brasil.


Nova Petrópolis. Abaixo à esquerda: vice-prefeito Charles Paetzinger.


Na prefeitura de Nova Petrópolis, os alemães foram recebidos por Charles Paetzinger, vice-prefeito da cidade de 20 mil habitantes. O vice-prefeito também tem ancestrais alemães. „Bloß die Hoor sinn e bissje schwatz“ (Apenas o cabelo é um pouco preto), brincou o político e acrescentou: „Aber mir spreche alles deitsch. Und bei uns ist das iwwerscheen, wenn mir Besuch grien von Deitschland“ (Mas nós falamos tudo alemão. E para nós é “iwwerscheen”, quando recebemos visitantes da Alemanha).

Depois prosseguimos com a „Programmation“: o grupo visitou o “Parque Aldeia do Imigrante„. Foi reconstruído um assentamento colonial alemão do século XIX. O parque conta histórias sobre a vida dos primeiros colonizadores alemães na região.

Igreja no estilo enxaimel no Parque Aldeia do Imigrante em Nova Petrópolis.


Em um outro parque, o „Esculturas Parque Pedras do Silêncio„, a história dos imigrantes alemães foi ilustrada por meio de esculturas de pedra: os motivos econômicos e políticos da migração, a longa travessia de navio sobre o oceano Atlântico e o novo começo difícil no Brasil.

Escultura de Augusto Stahl (1857-1927), cujos pais Mathias Stahl e Magdalena Jungbluth emigraram de Tholey em 1846.


À noite, a enorme e muito moderna vinícolaDon Guerino“ em Alto Feliz foi visitada. 600 mil garrafas de vinho e espumante são produzidos todos os anos em 60 hectares de terra. Depois de visitar o grande complexo, os alemães e os brasileiros comemoraram juntos no terraço amplo e novo em meio à bela paisagem. O alemão Engelbert Schmitt contribuiu com um acordeom e a sua voz treinada e poderosa – apoiado pelo canto dos alemães e brasileiros – para o melhor entretenimento. A interpretação de Engelbert Schmitt de „So ein Tag, so wunderschön wie heute“ (Tal dia, tão belo como hoje) deveria soar mais frequentemente nos próximos dias.

Degustação de vinhos na vinícola „Don Guerino“ em Alto Feliz.


No dia seguinte, a „Programmation“ começou com Feliz. Feliz é a cidade geminada de Nohfelden (município vizinho de Tholey). Albano Kunrath, o prefeito de Feliz, recebeu os convidados de Tholey na prefeitura, que foi construída em estilo enxaimel no início dos anos 80. „Mir sinn Brüder” (Nós somos irmãos), disse o prefeito Kunrath, tendo em vista que 139 famílias alemãs, incluindo 39 famílias de Tholey e dez famílias de Nohfelden, imigraram para Feliz. Depois, uma plantação de frutas e a cervejaria „Kaltbach“ foram visitadas.

     Acima: Prefeitura em Feliz. Abaixo: Casa em enxaimel em Feliz.


Depois do almoço fomos para São Vendelino, que também é chamado St. Wendel pelos germano-brasileiros. Não é novidade que São Vendelino é a cidade geminada da cidade de St. Wendel (é perto de Tholey). Na entrada da cidade, um São Vendelino, que bebe cerveja, recebe os hóspedes. Depois de ser recebido pelo prefeito de São Vendelino, Evandro Schneider, o grupo visitou a bela e moderna Igreja Católica de São Vendelino. No interior pintado de verde menta, o arcebispo Bergmann entoou um „Segne du, Maria”. Então fomos ao cemitério, onde você pode encontrar muitos nomes alemães como Neis, Kunrath ou Hermann e até mesmo inscrições em alemão como „Hier ruht in Frieden” (Descansa em paz aqui), „Hier ruht in Gott” (Descansa em Deus aqui) ou „Alles aus Liebe zu Gott” (Tudo pelo amor de Deus). Após a visita subsequente da igreja protestante, o grupo dirigiu-se à cervejaria local „Urwald“. Aqui tinha muitas opções de comida – entre elas “Kichelcher“. E, claro, também tinha chopp: o arcebispo Bergmann assegurou o fornecimento do grupo com seu trabalho na chopeira.


Acima à esquerda: Igreja Católica de São Vendelino. Acima à direita: Estátua do São Vendelino ao lado da igreja. Abaixo à esquerda: Interior da Igreja Católica de São Vendelino. Abaixo à direita: Arcebispo Bergmann serve cerveja.


À noite houve uma noite cultural com jantar no salão da sociedade recreativa e cultural Alto Feliz. Grupos de dança locais executaram danças e uma banda de instrumentos de sopro tocou canções alemãs como “Im Himmel gibt’s kein Bier” (Não tem cerveja no céu). Para o jantar tinha – como tantas vezes nesses dias – um rico buffet e carne grelhada („Churrasco“).

Noite cultural em Alto Feliz.


Depois de um dia de descanso com as famílias anfitriãs, a „Programmation“ começou no domingo às 8 horas com a missa na Igreja Católica de Alto Feliz. Como um pastor da aldeia, o arcebispo Bergmann cumprimentou todos os visitantes na porta de entrada. Depois de um lanche após a missa, um ato oficial seguiu na igreja com vários corais e grupos de música de Alto Feliz.

Missa em Alto Feliz com o arcebispo Jacinto Bergmann.


O Cônsul Geral alemão Thomas Schmitt elogiou em discurso dele o envolvimento cívico de anfitriões e convidados. „Estamos todos acostumados a pedir o estado. O estado faz política econômica, o estado faz política externa. Mas muitas vezes isso está errado.“ A política econômica faziam “os empresários e as pessoas que trabalham nas empresas. Isso é semelhante na política externa.” Enquanto embaixadas e consulados eram importantes, mas  era igualmente importante o que os representantes da sociedade civil e o que as pessoas faziam. „E a geminação de cidades cria um vínculo especial. É importante viajar,  para ver como as outras pessoas vivem, para se comunicar com elas.“ E não era evidente estabelecer uma parceria por causa de um passado comum 170 anos atrás. Além disso, o Cônsul Geral disse que era importante promover o aprendizado da língua alemã no Brasil. O estado também propôs apoiar financeiramente esta iniciativa. Mas também aqui a geminação de cidades e o engajamento cívico  eram muito significativos.

                                                                     O Cônsul Geral alemão Thomas Schmitt


No dia seguinte, as visitas nas empresas de Alto Feliz foram a „Programmation“. Uma fábrica de máquinas e uma fábrica têxtil com cerca de 100 trabalhadores foram visitadas. À tarde, o grupo visitou uma fábrica de ovos, onde um milhão de galinhas „produzem“ 300 mil ovos por dia. Depois, no biergarten da cervejaria Uffenberg, em Alto Feliz, foi brindado em conjunto. Nesse ponto, não se deve deixar de mencionar que Klaus L., cidadão honorário de São Vendelino, virou um litro de cerveja sem parar.

Profundamente impressionado com a hospitalidade, a despreocupação, a abertura e o calor dos generosos anfitriões, o grupo de Tholey viajou para o Rio de Janeiro, onde visitou, entre outros,  Copacabana, o Pão de Açúcar e a estátua do Cristo Redentor, no Corcovado. Depois de duas noites na „cidade maravilhosa“, retornamos para a Alemanha depois de duas semanas exitantes.

No próximo ano é a visita de retorno dos brasileiros. As visitas recíprocas devem continuar alternadamente a cada ano.

Para informação:

São Paulo

São Paulo é o centro econômico e financeiro do Brasil. São Paulo é a maior cidade do hemisfério sul e a quarta maior cidade do mundo: a cidade tem 12 milhões de habitantes e a área metropolitana de São Paulo tem 20 milhões de habitantes. A cidade fica em um planalto a uma altitude de 795 metros em média. São Paulo é a capital do Estado de mesmo nome. Os habitantes do Estado são chamados de „paulistas„, os da cidade „paulistanos“.

História

São Paulo foi fundada no dia da festa da Conversão de São Paulo (25 de janeiro) em 1554 por dois jesuítas. Nos primeiros 300 anos após sua fundação, São Paulo permaneceu relativamente pequena (15.000 habitantes) e insignificante.

Isso mudou quando se observou que a região de São Paulo apresentava condições favoráveis ​​de clima e solo para a cafeicultura. Com o boom do café houve uma explosão populacional, especialmente italianos, alemães, japoneses e libaneses emigrados no final do século XIX para São Paulo. Já no início do século XX, São Paulo substituiu o Rio de Janeiro como o principal local industrial brasileiro. Entre 1920 (cerca de 500.000 habitantes) e 1980 (8 milhões de habitantes), a população duplicou a cada 15 anos. O rápido desenvolvimento populacional levou a um desenvolvimento urbano desordenado. Devido à falta de planejamento urbano, assentamentos irregulares e não autorizados se desenvolveram na periferia. Um quarto dos habitantes da cidade vive em favelas.

Paisagem urbana

São Paulo consiste em um mar de arranha-céus, dos quais o mais alto, o Mirante do Vale, tem „apenas“ 170 metros de altura. Os dois arranha-céus mais famosos de São Paulo são o Edifício do Banespa (161 metros), inspirado no Empire State Building, e no Edifício Italia (168 metros). O arranha-céu mais antigo e bonito da cidade é o Edifício Martinelli (130 metros), construído na década de 1920. Projetado por Oscar Niemeyer, o Edifício Copan (140 metros), com sua característica planta ondulante, é o maior edifício residencial do mundo com aproximadamente cinco mil habitantes.

A rua mais famosa da cidade é a Avenida Paulista, com três quilômetros de extensão. Uma vez aqui as mansões dos barões do café, hoje ele é cheio de arranha-céus.

São Paulo está praticamente fechada a 25 km do centro da cidade. Especialmente no verão (dezembro a março) vem então, depois de chuvas pesadas a inundações. O „pulmão verde“ da cidade é o Parque do Ibirapuera.

Atraçãos turísticas

Uma das atrações da cidade é a Catedral da Sé, de estilo neogótico, consagrada em 1954, a sede do Arcebispo de São Paulo e o Pátio do Colégio. Nesse ponto, São Paulo foi fundada em 1554. O edifício atual remonta à década de 1950 e é uma réplica do mosteiro que já esteve aqui. Vale a pena ver também o mosteiro São Bento. Um dos mais belos edifícios da cidade é o Theatro Municipal. É uma das poucas lembranças do começo do século XX.

Alto Feliz

Alto Feliz está localizado no Rio Grande do Sul, a 90 km ao norte da capital Porto Alegre (1,4 milhão de habitantes). O Rio Grande do Sul tem cerca de 11 milhões de habitantes (um pouco menos que a Baviera) e uma área de cerca de 280.000 km² (maior que a Grã-Bretanha). O estado faz fronteira com o Uruguai e a Argentina. No Rio Grande do Sul vivem especialmente muitas pessoas com raízes alemãs. Desde a década de 1820, muitos alemães foram recrutados para colonizar a região fronteiriça. O Estado é hoje depois de São Paulo e do Rio de Janeiro um dos economicamente mais fortes dos 27 estados federais do Brasil. Os habitantes do Rio Grande do Sul são chamados de gaúchos.

As pessoas gostam de comer carne grelhada: „Churrasco“ (carne grelhada no espeto) é o prato típico.

Churrasco

A bebida popular é o chimarrão. As folhas de chá são colocadas em um recipiente especial para beber, uma cabaça, com água quente e depois bebidas com um tubo de metal prateado, nas extremidades de cada uma delas uma peneira em forma de colher e um bocal achatado. O chimarrão é passado na rodada como um cachimbo da paz.

As pessoas do Rio Grande do Sul amam o futebol. Eles jogam futebol nos muitos campos de futebol. Também Futsal (variante do futebol de salão) é muito popular aqui.

A maioria dos fãs de futebol no Rio Grande do Sul são gremistas (fãs dos “azuis”: Grêmio  de Porto Alegre) ou colorados (fãs dos “vermelhos”: Internacional de Porto Alegre).

Alto Feliz tem cerca de 3.000 habitantes e uma área de cerca de 79 km². Alto Feliz situa-se a uma altitude de 300 a 400 metros e está rodeada por muita floresta e muitas montanhas com mais de 600 metros de altura.

Ao contrário da Alemanha, o desenvolvimento em Alto Feliz e arredores é muito extenso e relativamente disperso. Desde 2018, Alto Feliz é cidade geminada de Tholey (cerca de 12.000 habitantes, cerca de 57 km²).

Alto Feliz foi fundado em 1846 por colonos alemães em uma colina chamada „Batatenberg“ (Morro das Batatas). Até 1992, Alto Feliz pertencia a Feliz (cerca de 13.000 habitantes, cerca de 96 km²), a cidade geminada de Nohfelden. Cerca de 80 % das pessoas em Alto Feliz têm antepassados ​​alemães, o restante é principalmente de italianos. Os costumes alemães, a cultura alemã, bem como a língua e o dialeto alemães, são mantidos até hoje.

                  Grupo de dança com traje alemão em Alto Feliz.


Rio de Janeiro

O Rio de Janeiro é a cidade mais famosa do Brasil. Especialmente devido à sua localização pitoresca no Oceano Atlântico, com longas praias de areia branca e imponentes montanhas verdes, o Rio também é conhecido como a „cidade maravilhosa„. O Rio de Janeiro tem cerca de 6,6 milhões de habitantes. 13 milhões de pessoas vivem na área metropolitana. O Rio de Janeiro é a segunda maior cidade do Brasil e capital do mesmo estado federal. Os habitantes do Rio de Janeiro são chamados de „cariocas„.

História

Em janeiro de 1502, a Baía de Guanabara, onde o Rio é hoje, foi alcançada por um explorador português. Isso confundiu a baía com a foz do rio. Então o Rio de Janeiro recebeu o nome de „Rio de Janeiro“.

O Rio de Janeiro foi desde 1763 capital do Brasil. De 1815 a 1821 o Rio de Janeiro foi até mesmo a capital do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarve. Em 1822, o Rio tornou-se a capital do então Brasil independente e permaneceu assim até 1960. Naquele ano, o Rio de Janeiro perdeu seu status de capital para a cidade planejada de Brasília, construída na década de 1950 por Oscar Niemeyer.

Por causa das plantações de cana-de-açúcar e das minas de ouro, muitos escravos africanos chegaram à cidade como trabalhadores nos séculos XVII e XVIII.

No final do século XIX, o Rio experimentou uma explosão populacional. Primeiro, muitos imigrantes europeus vieram para o Brasil. Por outro lado, havia movimentos migratórios intra-brasileiros; depois do fim da escravidão, os ex-escravos vieram para a cidade. Como em São Paulo, também foram construídas favelas no Rio, onde hoje vive um quarto dos cariocas.

Atraçãos turísticas

O símbolo do Rio de Janeiro é o „Cristo Redentor„, que vigia o Rio no Corcovado, de 710 metros de altura. A estátua foi erguida em 1931 e, junto com o pedestal, tem 38 metros de altura. A estátua pode ser alcançada pela ferrovia de roda dentada ou por uma estrada sinuosa com microônibus.

Outro símbolo do Rio é o Pão de Açúcar, uma montanha de 396 metros de altura na Baía de Guanabara. No pão de açúcar há um teleférico.

O Rio é conhecido por suas praias, especialmente a praia de Ipanema e a praia de 4,5 km de Copacabana.

O estádio de futebol do Maracanã, inaugurado em 1950 (oficialmente Estádio Jornalista Mário Filho), já foi o maior do mundo, com 200.000 lugares. Hoje, ainda conta com quase 75.000 espectadores. Em 2014, a Alemanha tornou-se campeã mundial de futebol aqui.

Excepcional é a catedral moderna. A estrutura cônica de concreto foi inaugurada em 1976 após 12 anos de construção.

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

ANZEIGEN